Será um prazer contar com a sua participação mais direta em alguma de nossas “Mesas de Artigos Temáticos". Para isso, escolha o eixo temático abaixo que mais se adequa à sua pesquisa, escreva seu artigo temático segundo as regras abaixo e envie para nosso e-mail. Após o processo de avaliação sua participação será confirmada por e-mail. Lembramos que a participação na mesa só se efetivará mediante a inscrição no XV encontro.

Eixos Temáticos e Regras para envio de Artigos

1. Leituras Filosóficas, Literárias, Artísticas e Poéticas acerca do Sentimento de Solidão

  • A presença do sentimento de solidão na literatura, na filosofia, na poesia e em manifestações artísticas, apontando como este sentimento deu forma e foi central em muitas obras culturais

2. Leituras Psicanalíticas da Solidão: Diálogos com Freud, Klein, Dolto...

  • A presença do conceito de "solidão" em autores clássicos e contemporâneos da psicanálise

3. Solidão e Capacidade de Estar Só Através das Conectividades Virtuais

  • A presença da solidão e da capacidade de estar só, enquanto sintoma ou possibilidade de crescimento através do uso das conectividades virtuais (Facebook, Instagram, Tinder etc.)

4. Relações Líquidas: O Sentimento de Solidão e a Capacidade de Estar Só

  • Aqui, o foco são os relacionamentos na atualidade e no contexto da "liquidez" e da precariedade da entrega e da confiança, suas possibilidades e sintomas

5. Manifestações da Solidão Essencial no Amadurecimento

  • Situações ao longo do amadurecimento em que a solidão essencial se manifesta e suas repercussões

6. O Sentimento de Solidão no Amadurecimento Infantil

  • A ênfase está na observação de aspectos do adoecimento e imaturidade infantil marcados pela presença do sentimento de solidão

7. O Sentimento de Solidão na Adolescência

  • A ênfase está na observação de aspectos do adoecimento e imaturidade do adolescente marcados pela presença do sentimento de solidão

8. O Sentimento de Solidão no Adultecer (Jovem e Maduro)

  • A ênfase está na observação de aspectos do adoecimento e imaturidade do adulto (jovem ou maduro) marcados pela presença do sentimento de solidão

9. O Sentimento de Solidão no Feminino, no Masculino... e na Construção da Identidade

  • Aqui, o olhar se volta para a presença da solidão no processo de construção identitário e de gênero. Há uma solidão feminina? Uma solidão masculina? Como a solidão e o gênero se associam?

10. A Dois: O Sentimento de Solidão e a Capacidade de Estar Só

  • E a "solidão a dois"? Como ser capaz de "estar só" em um relacionamento amoroso? Aqui, o olhar é para a presença da solidão e da capacidade de estar só em relacionamentos a dois

11. A Capacidade de Estar Só na Transferência no Setting

  • Aqui, podemos começar a pensar no "setting" e em como a capacidade de estar só se manifesta no paciente e na relação transferencial

12. Solidão, Silêncio e Capacidade de Estar Só do Analista

  • E o que acontece especificamente com o analista? De que forma o profissional vivencia a solidão e a capacidade de estar só em sua relação com o paciente? O que o silêncio, de um ou de outro significa?

13. O Encontro como Possibilidade de Humanização

  • Aqui, podemos direcionar o olhar para o "encontro" como possibilidade de amadurecimento, de senso de existência, de humanização.

14. A Capacidade de Estar Só: Elaborações Teóricas e Técnicas

  • O que podemos pensar e discutir acerca de elaborações conceituais acerca da capacidade de estar só? Contribuições na teoria e na técnica para que o "estar só" surja como aspecto do amadurecimento

15. Enfrentamentos da Solidão: Objetos Transicionais, Uso do Objeto, Amor...

  • Nesse momento, podemos pensar em como enfrentar a solidão nos procedimentos psicoterapêutico e psicanalítico. Que recursos podemos utilizar para a aquisição desta capacidade ao longo do tratamento?

16. A Solidão e a Capacidade de Estar Só no Mundo Amazônico.

  • Aqui, abrimos um espaço para discutir questões específicas de como a solidão e a capacidade de estar só se revelam, como tragédia ou como conquista, na vastidão do mundo amazônico

Envio de Artigos

Período de Envio do Artigo: Até 15 de junho de 2020

Enviar para o e-mail: gepw.manaus@gmail.com

Resultado Final: Comunicação do resultado da seleção até 15 julho de 2020

Inscrição de palestrantes: A inscrição do autor selecionado deverá ser efetivada até a data limite de 31 de julho de 2020 para que conste na programação científica final a ser divulgada.

OBSERVAÇÕES INICIAIS

  • Identifique no artigo

    • Tema do Encontro: Solidão - Entre o Sentimento e a Capacidade de Estar Só

    • Eixo temático escolhido (escolha um dos 16 eixos do XV Encontro)

    • Nome completo do(s) autor(es)

    • Título e subtítulo (se houver) do artigo

  • A participação se dará pela aprovação em seleção e efetivação do pagamento de inscrição

  • Os artigos podem ser de autoria individual ou coletiva (mais de um autor). Mas, no caso de mais de um autor, somente um ocupará a mesa para exposição do trabalho.

  • O(s) autor(es) podem escrever e enviar mais de um artigo para a seleção e apresentação em mesas distintas 

  • Também em caso de mais de um autor somente receberá o certificado de participação os que estiverem efetivamente inscritos no XV Encontro Winnicott.

  • Os conceitos emitidos no artigo e expostos são de responsabilidade exclusiva do(s) autor(res)

APRESENTAÇÃO DO ARTIGO

  • Página inicial com título do artigo em português e nome completo do autor. Ainda página inicial, incluir duas notas de rodapé: uma com informações sobre a origem do trabalho (se inédito para o XV Encontro, se derivado de dissertação ou tese etc.) e outra nota com os dados de filiação institucional, créditos acadêmicos e profissionais, e formas de contato (telefone, e-mail ou endereço) do(s) autor(res). 

  • Resumo em português com cerca de 200 a 400 palavras e até 5 palavras-chave.

  • O artigo deve conter até o máximo de 5 (cinco) páginas (folha tamanho A4), além das referências bibliográficas.

  • A formatação do artigo deve ter o seguinte padrão: Espaçamento de 1,5 (duas) linhas. Margens de 3 (três) cm (superior e esquerda) e de 2 (dois) cm (inferior e direita), com fonte Times New Roman corpo, tamanho 12 (doze).

  • Palavras estrangeiras devem vir em itálico, e sem aspas.

  • No caso de citação de autores no texto sugerimos apresentá-los pelo sobrenome, seguido) do ano da publicação. Ex.: Silva e Souza (1948) ou Silva & Souza, 1948.

  • No caso de citações com mais autores, a primeira vez que aparecem no texto podem ser citados todos; nas citações seguintes pode-se optar pelo sobrenome do primeiro autor seguido da expressão latina “et al.”.

  • A lista de referências bibliográficas deve ter a citação de todos os nomes dos autores.

  • Documentos cujo autoria é de entidade coletiva pode-se citar o nome da entidade por extenso, seguido do ano da publicação. Ex.: American Psychological Association (2001) ou (American Psychological Association, 2001).

  • Em caso de citação obtida através de canais informais como aulas, conferências, comunicação pessoal etc.) acrescenta-se esta informação entre parênteses após a citação. Ex.: (Informação verbal, 24 de outubro de 2010).

  • Quando de citação de obras reeditadas cita-se a data da publicação original seguida da data da edição consultada. Ex.: Winnicott (1947/1973).

  • Em caso de transcrição literal de texto, ela deve ser delimitada por aspas duplas, seguidas do sobrenome do autor, data e página citada. Se a citação tiver 40 ou mais palavras deve ser apresentada em parágrafo próprio sem aspas duplas, com linha avançada e terminando com a margem sem recuo. A sua fonte deverá ser menor.

  • Na citação indireta, ou seja, aquela cuja ideia é extraída de outra fonte, utilizar a expressão “citado por”. Ex.: Para Ribas (1990) citado por Braga (1998) ou Para Ribas (1990, citado por Braga, 1998). Já nas referências, mencionar apenas as obras consultadas, no caso acima: (Braga, 1998).

  • Quando de notas de rodapé elas devem ser indicadas com números arábicos sequenciais, imediatamente depois da frase a que digam respeito, e devem ser apresentadas no rodapé da mesma página, com os autores mencionados sendo apresentados nas referências finais.

  • As referências utilizadas devem ser apresentadas no final do artigo, e sua disposição deve ser em ordem alfabética do último sobrenome do autor e constituir uma lista encabeçada pelo título "Referências". Em caso de mais de uma obra de um mesmo autor, a prioridade na listagem é pela cronologia da publicação.

OUTRAS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES

  • A identificação da Mesa, do dia de apresentação, do horário e da sala estará na "Programação Científica" do XV Encontro e será divulgada quando de sua finalização e inclusão aqui mesmo neste site na página "Programação".

  • Cada autor será comunicado por e-mail da comissão organizadora da aceitação de seu trabalho e de informações posteriores para sua apresentação.

  • As mesas de "artigos temáticos" serão compostas por 3 (três) apresentadores, e duas outras pessoas para coordenação e secretariado da mesa.

  • Cada apresentador de Artigo Temático contará com 20 minutos para sua exposição.

  • Após as 3 exposições haverá um tempo de até 30 minutos (desde que não ultrapasse o total de 90 minutos de tempo total da Mesa) para maior interação com os participantes através de perguntas e debates.

  • Não haverá intervalo ou debate entre as apresentações, somente ao final.

  • Em caso de utilização de material audiovisual recomendamos enviar antecipadamente o material para que fique organizado por nossos colegas de apoio, ou que traga em seu próprio laptop ou em pen drive para uso no computador disponibilizado em cada sala.

 

Casos omissos que gerem dúvidas a comissão organizadora do XV Encontro poderá auxiliar na solução. Agradecemos muito o seu interesse e aguardamos o seu trabalho.

Comissão Organizadora

XV Encontro Brasileiro Sobre o Pensamento de D. W. Winnicott

Manaus - 2020

(c) GEPW - Manaus | Grupo de Estudo Sobre o Pensamento de D. W. Winnicott - Manaus